Refresque o seu browser!
Oops! Something went wrong while submitting the form.
Cabinda: Autoridades tradicionais lamentam falta de escolas

Artigo

Cabinda: Autoridades tradicionais lamentam falta de escolas

As entidades clamam por infra-estruturas de ensino primário.

Redacção
13/4/2020
Cabinda: Autoridades tradicionais lamentam falta de escolas
Foto por:
DR

As autoridades tradicionais do Alto Sunde, município de Belize, a cerca de 280 quilómetros a nordeste de Cabinda, clamam por infra-estruturas de ensino primário, lamentando que são várias as crianças da pré à 3ª classe que são obrigadas a estudar nas aldeias vizinhas da República Democrática do Congo (RDC), devido à falta de escolas na circunscrição.

O soba da aldeia de Kiluamba, Abel Zau Vundo, que falava em nome da regedoria de Kungo Tadi, lamentou, na quinta-feira, esse facto, durante a visita do governador da província, Marcos Nhunga, que visou constatar a execução das obras da ponte sobre o rio Lombe, para a normalização da circulação rodoviária naquela zona.

O governador de Cabinda, por sua vez, disse  ser uma preocupação que constará no Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM) como prioridade, tendo referido que o assunto foi encarado como pertinente, preocupante e prioritário.

"Vamos trabalhar e ainda este ano iniciarmos a construção de algumas salas de aulas para evitar que as crianças vão estudar no país vizinho", referiu.

O Alto Sunde, localizado na zona nordeste do município de Belize, na comuna de Miconje,  conta com 29 povoações com uma população estimada em 3 mil e 258 habitantes.

Faz fronteira com a RDC e tem um mercado fronteiriço na localidade de Sanga Luango. A agricultura, pesca artesanal e caça são as principais actividades da população local.

Redacção
Colégios de Angola

Somos um Portal de Informação sobre Ensino e Educação, focado na promoção e divulgação das melhores práticas de gestão escolar. E somos uma montra para as empresas e marcas do sector.

1
Catálogo
2
Artigos
3
multimédia
4
agenda