Refresque o seu browser!
Oops! Something went wrong while submitting the form.
Firmada parceria para capacitar professores da primária para um ensino mais eficiente

Artigo

Firmada parceria para capacitar professores da primária para um ensino mais eficiente

O acordo foi assinado na semana passada, no dia 1 deste mês.

Andrade Lino
6/8/2019
Firmada parceria para capacitar professores da primária para um ensino mais eficiente
Foto por:
Andrade Lino

O Ministério da Educação e o Banco de Fomento Angola (BFA) assinaram, na semana passada, dia 1 deste mês, o acordo de parceria que visa apoiar o projecto de Capacitação para Professores Primários (CAPPRI), com o objectivo de garantir a excelência do ensino, aprimorando o conhecimento técnico dos docentes, certame que decorreu na sala magna do Ministério da Educação, 1º andar.

O programa, que surge com um guia de formação, possui uma metodologia que garante, duma forma pedagógica, diferenciada e inovadora, capacitar os professores do ensino primário a nível nacional, cujo pontapé de saída acontece justamente na província de Luanda, sendo que para este acordo financeiro o BFA disponibilizou 243 milhões de kwanzas.

Segundo a administradora daquela instituição bancária, Manuela Moreira, “esta é uma obrigação” de uma entidade como o BFA, sendo um banco angolano, “em Angola, para os angolanos e para todas as pessoas que acreditam em Angola e em Angola vivem desde que a empresa assumiu um compromisso com o país”.

Para a responsável, este é ainda um compromisso de ajudar Angola a ter um desenvolvimento sustentável, que não se resume apenas em financiar projectos, pois mais do que apoiar a economia, significa criar a sustentabilidade a nível social e ambiental.

“Desejamos que Angola chegue a ser um país socialmente aceitável e ambientalmente correcto, e é baseado nisso que os accionistas do Banco de Fomento, e muito bem, tomaram a decisão de contribuir todos os anos com parte dos seus lucros líquidos para apoiar causas sociais em Angola. Cremos e vamos contribuir para que Angola seja um país que se desenvolva com sustentabilidade e acreditamos que isso passa fundamentalmente por termos bases muito sólidas de educação, formando pessoas que criem sustentabilidade no país”, declarou a gestora, que contou ainda que, quando a instituição teve acesso ao projecto CAPPRI, não teve dúvidas que este seria um projecto que merecia todo o seu apoio.

“Foi assim que decidimos, no início deste ano, disponibilizar a nossa verba para apoio social do ano 2019, 700 mil dólares pagos em kwanzas, na data do documento, para apoiar este projecto que entendemos que vai garantir um futuro mais forte, mais sólido em Angola, porque acreditamos que as crianças, que são o nosso principal foco para o apoio social, são o futuro de qualquer pais”, precisou.

Manuela Moreira acredita ainda que formar ou capacitar hoje 5 mil professores retira as dúvidas de que o resultado no futuro serão pessoas ou crianças e jovens melhor formados e “sem dúvidas teremos um país mais desenvolvido, mais sólido e mais sustentável, e o BFA não quer e nem vai ficar de fora deste processo que visa garantir uma Angola com um futuro melhor e que possa ser um exemplo em África e talvez no mundo, porque é possível fazer bem”.

No final do seu discurso, no decorrer do evento, manifestou que é possível garantir, mesmo sendo em África, melhor condições de vidas às crianças, jovens e idosos, e para isso “basta percebermos” que em todas as partes onde o banco vai investir e deseja ganhar algum dinheiro, tem que devolver estes ganhos à sociedade, pois “o BFA não abrirá mão de fazer bem aquilo entende ser uma parte muito importante”.

Por sua vez, a Ministra da educação, Cândida Pereira Teixeira, referiu que todo fundamento de qualquer sociedade baseia-se numa casa como a que é o Ministério da Educação.

“É para nós um motivo de grande orgulho estarmos aqui numa cerimónia singela, mas de bastante valor e bastante conteúdo, porquanto significa o desenvolvimento de uma acção que terá proporções muito grandes, não só no presente, mas como no futuro, porque o capital humano inicia-se na escola e a escola tem como o pilar fundamental o actor principal que é o professor. Portanto, este projecto, o CAPRRI, que acabamos de rubricar com o BFA, que notou a importância do mesmo, tem como base fundamental a formação de professores numa base diferente, uma modalidade diferente e metodologia diferente, que capacitará os nossos professores, motivando os alunos para que tenham uma outra visão e forma de estar dentro da sala de aulas, com muito mais prazer para a própria aprendizagem”, abordou.

Cândida Teixeira referiu que o BFA foi um parceiro que surgiu. “Não fomos procurar o BFA, mas foi o BFA quem nos procurou e daí o grande simbolismo deste encontro. Normalmente nós vamos à busca de patrocínios, mas neste caso foi o BFA que veio ter connosco e nos disse que quer ajudar-nos, por isso para nós isso tem um significado muito particular e queremos agradecer ao BFA porque afinal está connosco e se revê na importância da educação para o desenvolvimento do nosso país”, concluiu.

Relembre-se que o projecto CAPPRI teve início em 2018 e é uma iniciativa do Ministério da Educação com o objectivo principal de preparar os professores, complementando o seu trabalho diário de uma forma lúdica, mais fácil e apelativa, através da metodologia “Ensinar a Ensinar”, com o apoio de um Guia Pedagógico.

Andrade Lino
Jornalista e Fotógrafo

Amante das artes visuais e da escrita, além de jornalista e fotógrafo, Andrade Lino é também estudante do curso de Licentura em Língua Portuguesa e Comunicação na Universidade Metodista de Angola. Nos tempos livres é músico e produtor.

1
Catálogo
2
Artigos
3
multimédia
4
agenda